Resultado do XXIV Concurso de Poesias Augusto dos Anjos

Fernanda Hamann de Oliveira
Rio de Janeiro, RJ
Intérprete: Angélica Vargas Santana
2º Lugar
Jairo Cézar Soares de Souza
João Pessoa, PB
Intérprete: Fabrício Manca de Souza
Eder Rodrigues da Silva
Belo Horizonte, MG
Intérprete: Christiane Ribeiro
Eder Rodrigues da Silva
Belo Horizonte, MG
Intérprete: Thales Teixeira de Almeida
Otacilio César Monteiro
Limeira, SP
Intérprete: Fabrício Manca de Souza
Melhores Intérpretes
1º lugar
Christoff da Silva Cirino
com a poesia Retrato de Família
autor: Luis Kifier
2º lugar
Christiane Ribeiro
com a poesia O mar de Tereza
autor: Eder Rodrigues da Silva
3º lugar
Marcos Paulo Barreto de Araújo
com a poesia Errante
autor: Rodrigo Alves de Lima

Nos próximos dias publicaremos um caderno com as poesias.
Anúncios

Augusto dos Anjos, uma poética do corpo

A noite do dia 12 de novembro de 2015, no Museu Espaço dos Anjos, começou com uma palestra do Professor Fernando Fábio Fiorese Furtado.

Numa abordagem da obra de Augusto dos Anjos através das representações do corpo sob diversas formas, Fiorese nos contou, também, como se aproximou da poética de Augusto, ainda bem pequeno, quando morava na cidade natal, Pirapetinga. Sua fala tranquila e muito bem encadeada dirigiu a plateia para um tempo e um lugar relativamente próximos, mas do qual muitos de nós nos esquecemos.
A seguir, fez uma ligeira apresentação de seu primeiro romance: Um Chão de presas fáceis, e passou a autografá-lo.

O livro passeia pela BR-116, a Rio-Bahia, trazendo “causos” e casos recolhidos em diversas localidades do leste de Minas Gerais. Como o que começa assim:

“São várias e desencontradas as notícias acerca dos rumos que seguiram as muitas mulheres e os homens expulsos das terras da Barra do Pontal por ordem do impiedoso  padre Carlos Pereira.”

Quem foi este padre? Onde é Barra do Pontal? O que aconteceu com sua gente? 
Curiosidade despertada, a leitura flui rápida e vai dando a perceber a “moral da história: em Minas, apenas quando em dobro, o desastre ensina”.

Para os leopoldinenses, especialmente para os amantes do distrito de Piacatuba: o autor fala da Cruz Queimada de uma forma muito interessante.

A Academia Leopoldinense de Letras e Artes e a Secretaria Municipal de Cultura agradecem ao Professor Fiorese por ter aceitado o convite para vir a Leopoldina abrilhantar a Semana Anjosiana. E agradecem, também, ao público que prestigiou o evento.

Augusto dos Anjos, uma poética do corpo

A noite do dia 12 de novembro de 2015, no Museu Espaço dos Anjos, começou com uma palestra do Professor Fernando Fábio Fiorese Furtado.

Numa abordagem da obra de Augusto dos Anjos através das representações do corpo sob diversas formas, Fiorese nos contou, também, como se aproximou da poética de Augusto, ainda bem pequeno, quando morava na cidade natal, Pirapetinga. Sua fala tranquila e muito bem encadeada dirigiu a plateia para um tempo e um lugar relativamente próximos, mas do qual muitos de nós nos esquecemos.
A seguir, fez uma ligeira apresentação de seu primeiro romance: Um Chão de presas fáceis, e passou a autografá-lo.

O livro passeia pela BR-116, a Rio-Bahia, trazendo “causos” e casos recolhidos em diversas localidades do leste de Minas Gerais. Como o que começa assim:

“São várias e desencontradas as notícias acerca dos rumos que seguiram as muitas mulheres e os homens expulsos das terras da Barra do Pontal por ordem do impiedoso  padre Carlos Pereira.”

Quem foi este padre? Onde é Barra do Pontal? O que aconteceu com sua gente? 
Curiosidade despertada, a leitura flui rápida e vai dando a perceber a “moral da história: em Minas, apenas quando em dobro, o desastre ensina”.

Para os leopoldinenses, especialmente para os amantes do distrito de Piacatuba: o autor fala da Cruz Queimada de uma forma muito interessante.

A Academia Leopoldinense de Letras e Artes e a Secretaria Municipal de Cultura agradecem ao Professor Fiorese por ter aceitado o convite para vir a Leopoldina abrilhantar a Semana Anjosiana. E agradecem, também, ao público que prestigiou o evento.

Sarau com poesias de Augusto dos Anjos


9 de novembro de 2015, no Museu Espaço dos Anjos

Os alunos da professora Ana Cristina Miranda Fajardo, do 8º ano da E.E. Justiniano da Fonseca, localizada no distrito de Tebas, participaram da leitura de poemas de Augusto dos Anjos na abertura da Semana Anjosiana 2015.

Arthur Arruda Leal
Christoff Silva Cirino
Heitor Haas Barbosa
Lucas Anjos Castro
Marcos Paulo Barreto

Sarau com poesias de Augusto dos Anjos


9 de novembro de 2015, no Museu Espaço dos Anjos

Os alunos da professora Ana Cristina Miranda Fajardo, do 8º ano da E.E. Justiniano da Fonseca, localizada no distrito de Tebas, participaram da leitura de poemas de Augusto dos Anjos na abertura da Semana Anjosiana 2015.

Arthur Arruda Leal
Christoff Silva Cirino
Heitor Haas Barbosa
Lucas Anjos Castro
Marcos Paulo Barreto

Finalistas do XXIV Concurso Nacional de Poesias Augusto dos Anjos

Após o cumprimento do que determina o item 6 do Edital do XXIV Concurso Nacional de Poesias Augusto dos Anjos, informamos os títulos das poesias classificadas para a final que será realizada no dia 13 de novembro de 2015, às 19:30 horas, no Museu Espaço dos Anjos, à Rua Barão de Cotegipe nr. 386, em Leopoldina, MG.
A Comissão Organizadora agradece a todos os inscritos e deseja que estejam de volta no próximo ano, quando será comemorado o jubileu do Concurso em homenagem a Augusto dos Anjos.
Foram escolhidas as seguintes poesias, em ordem alfabética:
  • A arte de acenar aos trilhos (Pseudônimo: Mineiro)
  • A palavra (Pseudônimo: Paulo Valério)
  • Alvorecer (Pseudônimo: Ermitão do Vale)
  • Avatares de nós dois (Pseudônimo: Joana Amarante)
  • Do Mar (Pseudônimo: Velejador Jeremias)
  • Eco (Pseudônimo: Joelmi Liz)
  • Errante (Pseudônimo: Ahasverus)
  • Escritora (Pseudônimo: Nikita)
  • Espelho (Pseudônimo: Rubi)
  • Falta-me tu em uma nova poesia (Pseudônimo: Novo Gael)
  • Fixação (Pseudônimo: Psikê)
  • Inspiração (Pseudônimo: Chico Parnasianista)
  • Mais-que-ceticismo (Pseudônimo: Nagô)
  • O Mar de Tereza (Pseudônimo: Neto)
  • O mito do Tamarindo (Pseudônimo: Lenilde Freitas)
  • O pêndulo do relógio de ponto (Pseudônimo: Homem Escritor)
  • O talvez de um sonho (Pseudônimo:Anja)
  • Retrato de família (Pseudônimo: Luz)
  • Saudade (Pseudônimo: Rui Miller)
  • Tu e teus outros Anjos (Pseudônimo: Groto)

No dia 13 de novembro, após a decisão e divulgação pelo júri do resultado final, haverá a cerimônia de premiação, quando serão conhecidos os nomes autores das poesias.